Esporte & Marketing
Futebol, outros esportes e marketing digital por Gustavo Andrade

Quem é a Rakuten? Conheça a patrocinadora de Barcelona e Golden State Warriors

Golden State Warriors Rakuten

Com expectativa de ser uma das mais atraentes dos últimos anos, a temporada 2017/2018 da NBA começa nesta terça-feira, com o duelo entre Cleveland Cavaliers e Boston Celtics. Os torcedores que esperam pelas novidades de uma série de trocas de jogadores — como a que envolveu Kyrie Irving e Isaiah Thomas — verão outra novidade na maior liga de basquete do mundo. Pela primeira vez na história, as equipes da NBA terão patrocínios em seus uniformes.

Liderado pelo astro LeBron James, o Cleveland Cavaliers será patrocinado pela fábrica de pneus Goodyear. Já o Bolton Celtics, campeões da NBA em 17 temporadas, terão em seu uniforme a marca da General Eletric (GE). Estima-se que o contrato dos Celtics com a GE seja entre US$ 10 e US$ 15 milhões.

Na temporada 2017/2018, a marca da Nike estará do lado direito em camisas de 29 dos 30 times da NBA. Os atuais campeões Golden State Warriors, dos craques Stephen Curry e Kevin Durant, estamparão ainda a marca da Rakuten.

Esse é o segundo grande patrocínio da Rakuten no esporte. Pouco conhecida no Brasil, a empresa japonesa ganhou mais popularidade quando iniciou parceria com o Barcelona. Mas, afinal, quem é a Rakuten e o que ela faz? Continue a leitura e entenda os investimentos feitos pelo empresário bilionário Hiroshi Mikitani no Barça e no Golden State Warriors!

Afinal, o que faz a Rakuten?

A Rakuten é a maior empresa de comércio eletrônico do Japão. Fundada em 1997, em Tóquio, a companhia de Hiroshi “Mickey” Mikitani já expandiu seus negócios, com serviços de pagamento mobile e video streaming. Entretanto, o e-commerce ainda é o ponto forte da Rakuten, que é conhecida em seu país como a Amazon do Japão.

“Nós queremos ser a única outra alternativa à Amazon”, afirmou Hiroshi Mikitani, em entrevista à Forbes. Segundo a mesma revista, a Rakuten está avaliada em mais de US$ 15 bilhões. A companhia japonesa, cujo nome significa “otimismo”, emprega 14 mil pessoas.

A atuação da Rakuten no mercado brasileiro foi iniciada em 2011, com a aquisição da Ikeda, que passou a ser chamada Rakuten Brasil. Além da loja virtual, a companhia japonesa tem como principais produtos no Brasil o aplicativo de mensagens Line e o leitor digital Kobo.

Viber, Lyft e Pinterest: os investimentos de Mikitani e Rakuten

Para expandir seus negócios, Hiroshi Mikitani levou a Rakuten a investimentos em outros mercados. Em 2014, a companhia japonesa adquiriu o aplicativo israelense de mensagens Viber numa operação de US$ 900 milhões. A empresa passou a ser chamada Rakuten Viber, que busca competir com o Whatsapp, do Facebook.

Já em março de 2015, a Rakuten pagou US$ 300 milhões por 11,9% de participação no aplicativo de compartilhamento de viagens Lyft, que tenta fazer frente à Uber. O fato mais curioso dessa operação é que o serviço compartilhamento de viagens, como o realizado por Lyft e Uber, ainda não é permitido no Japão.

Hiroshi “Mickey” Mikitani, cuja fortuna está avaliada em quase US$ 7 bilhões, usou uma justificativa ligada aos esportes para o seu investimento. “Os Jogos Olímpicos do Japão estão chegando e precisaremos de serviços de compartilhamento de viagens”, afirmou o fundador e CEO da Rakuten, em menção à Olimpíada de Tóquio, em 2020.

Anteriormente, a Rakuten já havia feito outros grandes investimentos. Em 2012, a empresa abriu uma rodada de investimentos na rede social Pinterest com US$ 100 milhões.

Como as restrições do governo Trump influenciam no crescimento da Rakuten?

Os grandes investimentos fazem parte da estratégia de Hiroshi Mikitani para a expansão da Rakuten. Nessa missão, o empresário japonês implementou em 2010 um programa chamado “Englishnization”. Com duração prevista de 2 anos, essa estratégia visava levar a proficiência em inglês a 7 mil empregados da Rakuten, transformando o inglês na língua oficial da companhia japonesa.

Hiroshi Mikitani alegou que somente seria possível levar a Rakuten a ser uma top player na indústria de tecnologia e internet se a empresa passasse a adotar o inglês para sua comunicação. Segundo o empresário, 50% dos engenheiros da companhia não são japoneses, ainda que a matriz da empresa esteja situada em Tóquio. E 80% dos novos engenheiros contratados são de outras nacionalidades.

As contratações de engenheiros estrangeiros estão relacionadas às políticas de imigração adotadas pelo presidente Donald Trump nos Estados Unidos. “Agora que os EUA estão se tornando mais restritivos em termos de imigração e concessão de vistos para engenheiros, avalio que é uma grande oportunidade para nós contratarmos esses engenheiros no Japão”, observou Mikitani.

Como funciona a parceria entre Rakuten e Barcelona?

Nos esportes, o primeiro grande investimento da Rakuten foi no Barcelona. Em julho de 2017, a direção do clube catalão assinou contrato com a empresa japonesa por 4 anos. O acordo levará aos cofres do time de Messi, anualmente, US$ 65 milhões, ou 55 milhões de euros.

Responsável por suceder a Qatar Airways como patrocinadora master do Barcelona, a Rakuten ainda pagará bônus ao clube catalão pelas taças que possam ser erguidas: €1,5 milhão em caso de título do Campeonato Espanhol e €5 milhões para um título na Uefa Champions League.

Rakuten Barcelona Hiroshi Mikitama Josep Maria Bartomeu

Na parceria com o Barcelona, a aposta de Hiroshi Mikitani é aproveitar uma filosofia. “O que quero fazer é criar mais do que uma companhia. Por isso, o meu slogan — Rakuten significa otimismo. Isso não é ser uma empresa japonesa tradicional, mas uma companhia global. Eu amo futebol, essa é uma paixão também. E o Barcelona é uma outra dimensão. Não apenas por causa do estilo, mas tudo está baseado em uma filosofia. Para eles, é a vida deles. Tudo se reflete de uma maneira muito bonita”, justificou.

Curiosamente, a parceria entre Rakuten e Barcelona se iniciou após um jantar entre Hiroshi “Mickey” Mikitani e Gerard Piqué em San Francisco, nos Estados Unidos. O zagueiro espanhol é amigo do empresário japonês e o ajudou a negociar com os dirigentes do clube espanhol.

Embora o primeiro contrato seja de 4 anos, a intenção de Mikitani é construir com o time de Gerard Piqué, Andrés Iniesta e Lionel Messi uma parceria de longa duração. “Esse é o início da maior parceria da história do esporte profissional”, afirma o fundador e CEO da Rakuten.

Como será o investimento da Rakuten no Golden State Warriors e na NBA?

Estampar sua marca na camisa vestida por Lionel Messi é, provavelmente, um dos maiores investimentos que uma empresa pode fazer em esportes atualmente. Mas que tal aumentar sua expansão para o mercado norte-americano? Para isso, Hiroshi “Mickey” Mikatini aproveitou a abertura da NBA para que as franquias passem a utilizar marcas de patrocinadores em suas camisas a partir da temporada 2017/2018.

Na NBA, a Rakuten acertou patrocínio ao Golden State Warriors. E acerto nesse sentido pode ser entendido mesmo como uma “tacada certeira”. Com a equipe da Califórnia, a empresa japonesa pode se tornar a parceira de uma nova franquia hegemônica na NBA.

Campeões de duas das últimas três temporadas da NBA, os Warriors têm tudo para se tornarem uma franquia multicampeã. Em 2017/2018, o time comandado por Steve Kerr já larga como favorito, tudo isso porque conta com um quarteto de futuros “Hall da Fama”: Stephen Curry, Kevin Durant, Draymond Green e Klay Thompson.

Juntos, eles prometem ser imbatíveis, ainda que outras equipes estejam construindo grandes formações ou supertimes na NBA, como o Cleveland Cavaliers (com Isaiah Thomas, Dwayne Wade, LeBron James e Kevin Love) ou o Oklahoma City Thunder (com Russell Westbrook, Paul George e Carmelo Anthony).

De acordo com a Forbes, a Rakuten pagará US$ 20 milhões por temporada ao GSW. Na parceria, o espaço de treinamentos de Curry, Durant e companhia passará a ser chamado de “Rakuten Performance Facility”.

Quais serão os patrocinadores das equipes da NBA?

Com a liberação para ter marcas de empresas em seus uniformes pela primeira vez, diversas equipes acertaram seus contratos de patrocínio. Como já dissemos, os Cavs terão como parceira a Goodyear, enquanto o Boston Celtics estampará a marca da General Eletric.

O patrocinador do Brooklyn Nets será a Infor, o Philadelphia 76ers acertou com a StubHub, e o Sancramento Kings fechou com a Blue Diamond Almonds. Já a Harley-Davidson colocará sua marca no uniforme do Milwaukee Bucks, enquanto a Wish estará com os multicampeões Los Angeles Lakers. E quem patrocinará o Orlando Magic? A Disney!

Confira abaixo como ficaram as camisas dos times da NBA com patrocinadores para a temporada 2017/2018 — há franquias que, além da marca da Nike, ainda não terão outro patrocínios em seus uniformes, casos de New York Knicks e San Antonio Spurs:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Enquanto a Nike domina a NBA, a Adidas está envolvida em um escândalo de corrupção no basquete universitário. Treinadores da NCAA podem pegar até 80 anos de cadeia em investigação desenvolvida pelo FBI.

post similares
  • Alex Muralha no Flamengo e o limite entre a crítica e a perseguição “Você sabe que, quando entro em quadra, eu dou tudo de mim pelo jogo? Quando estou na quadra, tudo fica de lado. E nenhum de vocês entende isso, porque nenhum de vocês joga”. A declaração dada por John McEnroe foi retratada no filme Borg vs McEnroe, que leva ao cinema uma das maiores rivalidades da [...]
  • Afinal, marketing ajuda a conquistar torcedores? Ao assumir a presidência do Atlético Mineiro, em novembro de 2008, Alexandre Kalil dissolveu o departamento de marketing do clube alvinegro. O atual prefeito de Belo Horizonte alegava que esse departamento gerava prejuízo e dizia que, no futebol, “marketing é bola na casinha”. Assim, o Atlético ficou sem departamento de marketing por 7 anos, até [...]
  • Futparódias: futebol, música e humor em mais de 275 milhões de visualizações em 9 meses Junte futebol, música e humor, alie experiências anteriores com audiovisual e, assim, crie um fenômeno do Youtube. É mais ou menos assim que funciona o Futparódias, uma vasta coletânea de músicas que estão bombando, transformadas em paródias com letras que exploram o que há de mais quente no futebol mundial.   Neste post, recheado de [...]
  • #NoEraPenal: a vingança do México contra a Holanda e Arjen Robben Algumas rivalidades no futebol marcam os duelos entre seleções. Provavelmente, nenhuma delas supera a entre brasileiros e argentinos. Porém, os argentinos alimentam uma forte rivalidade também com a Inglaterra, em consequência da Guerra das Malvinas. Outras grandes disputas surgem ao longo dos anos por circunstâncias de duelos em jogos decisivos ou lances peculiares. Foi assim [...]
  • Argentina e Messi fora da Copa: qual seria o tamanho do prejuízo? Nesta terça-feira, às 20h30, a Argentina enfrentará a altitude de 2.850 metros de Quito não apenas para vencer o Equador, mas para evitar um vexame histórico. Qualquer resultado que não seja um triunfo deixará o time de Lionel Messi fora da Copa Mundo de 2018, na Rússia — derrota e empate ainda mantêm chances remotas [...]

Comentários recentes

    Categoria

    %d blogueiros gostam disto: